Copa do Brasil 2014 – CRB 2×1 São Paulo – Análise, Notas, BC/BM.

analise

 

A EXPECTATIVA…

Com o trem aparentemente querendo entrar nos trilhos,  o São Paulo retornou à Maceió para desta vez enfrentar o CRB, no jogo de ida pela segunda fase da Copa do Brasil de 2014. De Pato à Ganso, passando por Boschilia e chegando a Ademílson, hoje no lugar de Luís Fabiano. Essa é a cara do São Paulo que quer se acertar definitivamente…

… E A REALIDADE!

1º Tempo

Parecia que o São Paulo queria irritar o adversário, principalmente a torcida alagoana, quando irritantemente trocava passes na defesa, até que Rodrigo Caio fez bobagem e foi amarelado aos 2 minutos. Segundos depois, em lance esquisito, Pato quase marcou por cobertura. Parecia mesmo um engodo do tricolor, que seguia tocando e de uma hora para outra acelerava o jogo e assustava, como aos 7 minutos, em que Pato apareceu sozinho dentro da área e, de cabeça, escorou para fora o bom cruzamento de Douglas. O CRB se fechava para sair nos contra-ataques e embora o São Paulo jogasse melhor, essa era a opção mais acertada para o time alagoano.

Ganso, ainda que sem o brilho de outrora, fazia das suas e criava, deixando os jogadores tricolores em condições de concluir a gol. E o caminho era pelos lados. Alvaro Pereira avançou pela esquerda e passou para Boschilia, que tentou o chute e foi travado. A bola subiu e veio perfeita para Ademílson, que tal qual um Diamante Negro, içou o corpo ao vento e de bicicleta fez um GOLAÇO! 0×1 São Paulo! E o pau torava! Atrás no placar, o CRB, que desde o início batia até na mãe, resolvia bater no pai também.

Mas a defesa bobeou aos 35 minutos e Diego Rosa saiu na cara de Rogério Ceni, que tentou fazer o “corte” e cometeu o pênalti. Tozin cobrou e empatou. 1×1. A morosidade na marcação voltava a aparecer, a grande distancia entre os setores do time também e o resultado disso era um time frouxo na marcação, dando espaços demais para o adversário. Prova disso é que o CRB quase virou aos 44 minutos. E o apitador encerrou o primeiro tempo, aos 46 minutos.

2º Tempo

Muricy náo estava satisfeito. Tanto é que Pabón voltou no lugar de Boschilia. O tricolor corria para corresponder aos anseios de seu treinador, mas falhava. Faltava inspiração. O CRB aproveitava-se disso para colocar suas manguinhas de fora. Tozin, de cabeça, quase desempatou aos 10. O São Paulo tinha mais posse de bola, mas não tinha efetividade. E a arbitragem judiava, também. Porque Rodrigo Caio nada fez, aos 14 minutos, para receber o segundo cartão amarelo e em seguida o vermelho. O apitador marcava tudo para o time da casa. Muricy sacou Ganso, apagado, e colocou Paulo Miranda para recompor a zaga.

Ao escriba cabe relatar o que vê e o que este via em campo era um jogo ruim. O São Paulo se resumia às tentativas de longe de Pabón. Aos 31, Pato deu lugar a Osvaldo. E ele queria colocar fogo no time. Mas as coisas não encaixavam. Aos 33 a bola ficou viva na área do CRB e o São Paulo não conseguiu finalizar.

Mas, com um a mais em campo, o CRB ia para cima e aos 38 conseguiu a virada. Depois de nova falha na marcação tricolor, a bola chegou até Diego Rosa, que livre só teve o trabalho de tocar para o gol. 2×1. Aos 41, Osvaldo foi para cima da marcação e tentou o cruzamento. Gabriel desviou com a mão, pênalti claríssimo não anotado pela arbitragem. A torcida alagoana ia à loucura com o resultado e a narração do Sportv já falava nas hipóteses de eliminação do São Paulo no Morumbi. É…

Por: Paulo Martins

NOTAS

ROGÉRIO CENI: Fez algumas defesas, mas cometeu o pênalti. No segundo gol, poderia ter saltado para a bola, que passou perto dele. Jornada ruim. 2

DOUGLAS: Correu muito, como de costume. Mas foi só. 4

RODRIGO CAIO: Levou o primeiro cartão amarelo logo no início da partida, em excessivo rigor do apitador que equivocadamente o colocou para fora no segundo tempo. Mas não fez boa partida. 3

ANTONIO CARLOS: No mesmo nível do seu companheiro de zaga. 3

ALVARO PEREIRA: O jogador mais acionado do time. Mas não foi efetivo. 5

SOUZA: Como todo o time, não fez grande partida. Mais disperso na marcação do que de costume. 4

MAICON: Sonolento, não impôs o seu bom toque de bola no meio-campo. 3

GANSO: Alguns bons passes e só. Precisa jogar mais e falar menos. 3

BOSCHILIA: Apareceu bem no primeiro tempo. Entendo que não deveria ter saído. 4

PATO: Boa movimentação no primeiro tempo, mas sem muita eficácia.

ADEMÍLSON: Belo gol e só. 6

[PABÓN]: Entrou para dar mais contundência ao ataque, mas não foi capaz disso. 4

[PAULO MIRANDA]: Entrou para recompor a zaga e participou da falha coletiva no segundo gol do CRB. 3

[OSVALDO]: Apenas um bom começo. E só. 3

MURICY: Apesar da tentativa de fazer o time jogar, não conseguiu. Acho que não deveria ter tirado Boschilia no intervalo. Não foi feliz nas demais substituições, que não deram o resultado esperado. 3

Por: Paulo Martins

 

BOLA CHEIA

- Apenas o início do jogo, com o belo gol de Ademílson.

BOLA MURCHA

- A péssima jornada do time;

- Todos os jogadores, sem exceção, inclusive o treinador;

- O apitador, que não bastasse impedimentos inexistentes, foi rigoroso demais com Rodrigo Caio tanto no lance do primeiro cartão amarelo, com pouco mais de 1 minuto de jogo e no lance da expulsão, quando o jogador tricolor sequer encostou no jogador do CRB. Para coroar a péssima arbitragem, deixou de marcar um pênalti claro para o São Paulo, depois de Gabriel desviar a bola com as mãos dentro da área.

 

 

Share Button

Preleção Copa do BR-14: CRB x São Paulo

CRB x São Paulo

Depois de atropelar o Botafogo na estreia do Brasileirão, o São Paulo volta suas atenções para a Copa do Brasil, onde nesta quarta-feira retorna a Maceió para encarar desta vez o CRB. O confronto é válido pela segunda fase da competição, portanto uma vitória por dois gols de diferença serve para eliminar o jogo da volta.

O clima é de total otimismo pelos lados do Morumbi. O time jogou muito bem no domingo, não deixando o adversário ver a cor da bola… 3×0 ficou barato para o Botafogo. A confiança é tanta que nosso artilheiro foi poupado inclusive da viagem para a capital alagoana. Sem o Fabuloso, o provável substituto será Ademilson, que mais perde gols do que faz… espero que hoje ele jogue metade do que jogou na arrancada do ano passado. A partida de hoje também pode marcar a estreia de Hudson com o Manto.

Sempre uma das maiores vítimas da torcida, Douglas vem fazendo por merecer a titularidade. Por incrível que pareça foi o grande destaque da rodada do BR, sendo inclusive o maior pontuador do Cartola! Além do quarteto ofensivo, Antonio Carlos, nosso zagueiro artilheiro, pode decidir a partida. Com Souza dando proteção a zaga, nossa defesa melhorou e muito, mesmo não tendo craques na posição. É fato que com ele em campo, a defesa tricolor tem melhora “exponencialmente”.

O CRB disputa a competição pela 10ª vez, mas jamais passou da segunda fase. Os alagoanos ainda estão disputando o estadual, onde estão nas semifinais. Tal como seu arquirrival CSA, o grande objetivo da equipe é um empate ou até mesmo uma derrota magra, de modo que consigam visitar o Morumbi ou quem sabe, operar um milagre e atingirem a 3ª fase da Copa do Brasil pela primeira vez.

Apesar do favoritismo absoluto, é bom o São Paulo tomar cuidado para não complicar as coisas, como vem acontecendo com o Tricolor em partidas eliminatórias. Favoritismo não ganha jogos e o time tem que fazer por merecer para sair com um resultado positivo. Independente de se classificar hoje ou não, o próximo adversário do Tricolor sairá do confronto entre Bragantino x Figueirense. Avante Meu Tricolor!

Por: Leandro Teixeira

 

CRB X SÃO PAULO

Data/Hora: 23/04/2014, as 22h00 (horário de Brasília)

Estádio: Rei Pelé, em Maceió/AL

Árbitro: Pablo Ramón Gonçalves Pinheiro/RN

Auxiliares: Daniel Vidal Pimentel/SE e Victor Oliveira Cruz/SE

CRB: Júlio César, Paulo Sérgio, Marcus Vinícius, Gabriel e Gleidson; Olívio, Audálio, Johnnatan e Diego Rosa (Geovani); Marcelo Maciel e Tozin (Denílson). Técnico: Eduardo Souza

São Paulo: Rogério Ceni, Douglas, Rodrigo Caio, Antonio Carlos e Alvaro Pereira; Souza, Maicon, Boschilia e Ganso; Alexandre Pato e Ademilson. Técnico: Muricy Ramalho

Transmissão: Globo(PR, SP e AL) e SporTV 2

Share Button

Fragilizado no ataque, São Paulo pega CRB e tenta eliminar segundo jogo

Tricolor não terá Luis Fabiano, autor de mais gols que todos os outros atacantes juntos. Pato vira arma. Alagoanos apostam no fator casa

No dia em que precisará de gols para eliminar o segundo jogo, o São Paulo, ironicamente, atuará sem boa parte de sua força ofensiva. Depois de passar pelo CSA na primeira fase da Copa do Brasil, o Tricolor volta a Maceió para enfrentar o CRB, nesta quarta-feira, às 22h, no estádio Rei Pelé, tentando provar que pode viver sem o bom momento do centroavante Luis Fabiano, poupado pelo técnico Muricy Ramalho.

O ataque do Tricolor funcionou pouco sem o Fabuloso. Sozinho, ele marcou mais gols do que todos os outros atacantes somados. O camisa 9 balançou as redes 12 vezes, contra três de Ademilson, provável substituto, e Osvaldo, além de uma de Ewandro, Pabón e Pato. O vice-artilheiro do time na temporada é o zagueiro Antônio Carlos, com cinco.

Na fase anterior, o São Paulo passou por outro alagoano, o CSA, mas não evitou o confronto no Morumbi. Para que isso aconteça, a equipe paulista precisa vencer por dois ou mais gols de diferença. Assim, anulará a partida marcada para 7 de maio. Quem passar enfrenta o vencedor do duelo entre Figueirense e Bragantino.

Depois de eliminar o Rondonópolis, o CRB aposta em um bom resultado em casa. O time se divide neste momento entre o sonho de bater um gigante na Copa do Brasil e brigar pelo título estadual – faz a final contra o Coruripe. Os destaques do Galo são o volante Olívio e o atacante Denílson, artilheiro do Mundial de Clubes de 2009, pelo Pohang Steelers, da Coréia do Sul.

Pablo Ramón Gonçalves Pinheiro (RN) apita a partida. Os assistentes são Daniel Vidal Pimentel (SE) e Victor Oliveira Cruz (SE). A Rede Globo transmite a partida para SP, PR e AL (com Cleber Machado, Casagrande e Leonardo Gaciba).

Fonte: globo.com

Share Button

Criatividade garantida!

Ganso-Boschilia

Na vitória sobre o Botafogo, por 3 a 0, no último final de semana, o técnico Muricy Ramalho mexeu no time, adotou o esquema tático 4-4-2 e apostou na entrada do jovem Boschilia, que pela primeira vez foi titular. Desinibido, mesmo atuando como titular pela primeira vez, o camisa 35 soube dividir bem as jogadas com Paulo Henrique Ganso e municiou bem o ataque.

E a atuação da dupla animou o Maestro, que aprovou a parceria com o jogador revelado no Centro de Formação de Atletas Laudo Natel, em Cotia. “Ele tem muita qualidade e já mostrou isso na disputa da Copinha (Copa São Paulo de Futebol Júnior), porque era o diferenciado do time”, afirmou o camisa 10 são-paulino, nesta terça-feira (22), durante a coletiva de imprensa no Centro de Treinamento da Barra Funda.

Contra o CRB-AL, nesta quarta (23), pela Copa do Brasil, os armadores podem ser novamente uma das armas de Muricy. De acordo com Ganso, que acumula passagens pela Seleção Brasileira, a sintonia com Boschilia pode facilitar o rendimento da dupla. “Tanto faz o esquema tático, mas ajuda muito ter outro meia na armação da equipe”, avaliou o meio-campista, que acrescentou.

“Ele ainda é jovem e, por isso, a gente procura passar tranquilidade e confiança. Mas com a qualidade dele, tenho certeza de que conseguirá ajudar o time”, completou o camisa 10, esperançoso de que em 2014 o Tricolor reencontrará o caminho das conquistas.

“O São Paulo entra em qualquer campeonato na briga pelo título. Nosso time está muito forte e encaixado, porque temos bons jogadores”, finalizou. Após eliminar o CSA-AL na primeira fase da Copa do Brasil, a equipe são-paulina segue firme em busca do título da competição.

Fonte: Site Oficial

Share Button

Ganso se julga único no futebol brasileiro: ‘Não vejo ninguém acima da média como eu’

Ganso

O meia Paulo Henrique Ganso não queria nem conceder entrevistas quando deixou o time titular do São Paulo, durante o Campeonato Paulista. Novamente em alta com o técnico Muricy Ramalho, mas não com Luiz Felipe Scolari, o jogador já tem suficiente autoestima para não ficar melindrado com as remotas possibilidades de defender a Seleção Brasileira na Copa do Mundo.

“Como armador, não vejo ninguém no Brasil acima da média, como eu”, disse Ganso, sem titubear, estendendo o elogio ao centroavante são-paulino Luis Fabiano – outro que Felipão não deverá convocar para o Mundial. “Sempre fui acima da média e procuro demonstrar isso em campo”, insistiu o meia.

A opinião de Paulo Henrique Ganso não é compartilhada pelo comandante da Seleção Brasileira. O que não parece incomodá-lo. “O grupo do Felipão já está fechado. Por tudo o que aconteceu, as minhas chances praticamente sumiram. Vou assistir à convocação só para saber quem serão as pessoas que representarão muito bem o País”, resignou-se.

Ganso só se exaltou um pouco mais para defender o seu status de “acima da média” na hora em que o São Paulo estava em pauta. “Não perdi a posição. Havia sido poupado”, corrigiu, quando escutou que tinha parado no banco de reservas da equipe. “Naquele momento, queria focar nos treinamentos e voltar a falar quando estivesse melhor.”

O meia já está um pouco melhor – não o bastante para participar da Copa do Mundo -, admitindo até algumas críticas. “Sempre vão cobrar de quem pode render mais, de quem tem um talento apurado. As pessoas me cobram porque tenho essa condição. Isso não é pressão. É a responsabilidade de jogar com a camisa 10 de um grande clube”, sorriu o antes selecionável Paulo Henrique Ganso.

Fonte: espn.com.br

Share Button

Viagens ao Sub Mundo – Sabe o Comodismo?

viagens
Sabe o comodismo?
Sabe quando parece que é melhor estar do jeito que está porque de outro jeito pode ser que não seja como agora é? Porque o desconhecido acaba nos trazendo calafrios na espinha sólida da certeza que impera os dias atuais, pois são resultado de uma rotina enraizada no agir nosso de cada dia. Ou seja, a mesmice que traz a convicção de que é melhor não mudar.

Então, comodismo.
Seja lá se isso for comodismo, mas é o que temos como mais confiável quando nas decisões frequentes de nossa existência. Ora, que assim seja. Seja como é. Assim. Desse jeito, do ‘desse’ da gramática, do nosso português, que se refere ao que já foi dito, perto, assim, do tipo acabou de acontecer.
Acaba de acontecer o que sempre acontece quando se faz do mesmo jeito de sempre. Os resultados, as coisas que sempre se mostram iguais ao que sempre foram.

Está dito comodismo?
Esclarecimento, como diz Kant (Königsberg, 22 de abril de 1724 – Königsberg, 12 de fevereiro de 1804), é a saída do homem de sua menoridade. Menoridade, ainda para Kant, significa a incapacidade do homem de fazer uso de seu próprio entendimento.
O homem que não ousa pensar fica ali, no mesmo, no ‘paraíso’ do comodismo que lhe garante o de sempre. O deixar para que outro faça tranquiliza mentes covardes. Exime do ‘se cansar’ aquele que prefere que tudo permaneça como está.
Eis que, por certo tempo, tivemos muito contato, muita experiência com a tal da imutabilidade. Os seguidos mandatos na gestão aparentavam ser prova da existência de um segmento à menoridade no São Paulo. Ali, dentro dos grupos políticos Tricolores, as rédeas não eram firmemente almejadas. Não parecia (porque não posso dizer a certo que realmente o contrário acontecia, já que sou somente mais um torcedor e obviamente não obtenho todas as informações necessárias para explanar a convicção nas palavras), porque a incapacidade tamanha demonstrada nas últimas eleições assim se apresentava, que punhos fortes exigiam o controle dos passos são-paulinos.
Ou seja, estávamos compelidos a permanecer no pequenismo que cada derrota, cada eliminação se fazia crescer no São Paulo.
Ora digam muitos que o São Paulo não se tornava pequeno. Que o São Paulo jamais pequeno será.
Ora digo que de forma alguma diminuiu.
E nem digo que os demais cresceram tanto a ponto de se tornarem maiores.
Só coloco um ponto a se pensar sobre os que ali nos bastidores Tricolores estão.

De Kant: “a preguiça e a vileza são as causas pelas quais tão grande parte dos homens[...]ainda permanecem de bom grado em estado de menoridade por toda a vida; e esta é a razão pela qual é tão fácil que os outros se erijam como tutores. É tão cômodo ser menor!”.
E dentre os senhores dali, por no mínimo 2 mandatos de Juvenal, os dois últimos, claro, não se ergueu uma força honrada sequer? Uma força contundente, que se mostrasse realmente digna de assumir o comando?

Que pena.. que tão insignificante sou para o assunto. Para ter a real noção de tudo o que acontece lá, tão longe, tão perto. Dentro do amado clube. Inalcançável para a maioria de nós, que somente podemos torcer.
Privilégio meu ter oportunidade para poder apresentar aqui um pouco daquilo que uma parte dos torcedores sente e pensa.
Privilégio porque posso assim estar seguindo com meus próprios pés, mesmo que na mente o peso das infinitas dúvidas se tornem cada vez mais obstáculo e corrente de vento contrária, uma ladeira…

Mas, seguindo, Kant diz que o indivíduo não pode permanecer na sua menoridade a vida toda. Não pode do verbo ‘não deve’… Então, que Aidar seja como novo oxigênio de um esclarecimento kantiano de saída Tricolor da menoridade. Passemos a ter mais indivíduos com poder de agir, com convicções de comando, de sabedoria e coragem. Senhores que não se apeguem ao comodismo, que lutem, que desejem e queiram fazer um São Paulo mais forte. Um São Paulo de crescimento ininterrupto.
Nós torcemos por vocês! Hoje, torcemos por Aidar.
Ronnie Mancuzo – Sub
———————————————————

O britânico Peter Frampton ficou famoso quando integrante da banda The Herd e se consolidou como ícone do rock na carreira solo, iniciada em 1972.
Foi o precursor do recurso da guitarra falada e seu álbum ao vivo, Frampton Comes Alive é o mais vendido, do estilo, na história da música.
Em homenagem aos seus 64 anos (Beckenham, Kent, 22 de abril de 1950), apresentamos o som de Show Me The Way, um clássico eterno.

———————————————————
Frase do dia:
Podemos julgar o coração de um homem pela forma como ele trata os animais.
Immanuel Kant

Share Button

Muricy pede a contratação de um reserva para Luis Fabiano

muricy_josepatricio_estadao_292(1)

Pato, Luis Fabiano, Osvaldo, Pabón, Ademilson e Ewandro. Sobram opções para Muricy Ramalho mexer no ataque do São Paulo. Mas o treinador ainda não está satisfeito com o que tem. Para colocar o Tricolor na briga pelo título do Campeonato Brasileiro, ele considera indispensável a chegada de um centroavante para ser o reserva imediato do Fabuloso.

– É uma posição que não temos. Nosso elenco tem atacantes velocidades apenas. Falta um cara nessa posição de área – afirmou o treinador, após a vitória por 3 a 0 sobre o Botafogo, no Morumbi.

Muricy cobra da diretoria a contratação de um jogador para a posição desde que Aloísio, um dos destaques do time no ano passado, foi negociado com o Shandong Luneng, da China. A direção varreu o marcado no início do ano, mas não encontrou peças compatíveis, principalmente por causa do preço elevado de um “camisa 9” de qualidade.

O São Paulo vem olhando também para o mercado internacional. Lucas Pratto, do Vélez Sarsfield, chegou a ser procurado pela antiga diretoria, mas a negociação não deve caminhar. O clube argentino só aceita vendê-lo após a Libertadores e por cerca de R$ 9 milhões. Muricy, porém, não se empolga por considerar o centroavante muito lento.

O treinador são-paulino está preocupado com o desgaste físico de Luis Fabiano, sobretudo agora, com o aumento do número de jogos em virtude do Brasileirão e da Copa do Brasil. O atacante vem fazendo boas partidas, mas não tem um reserva imediato para ser preservado em alguns jogos.

– Precisamos cuidar bem do Luis. Ele está indo muito bem, mas precisamos tomar cuidado – disse.

Por isso, há a possibilidade de Muricy preserva alguns titulares na partida contra o CRB, quarta-feira, às 22h, em Maceió, pela segunda fase da Copa do Brasil. A decisão será tomada após uma avaliação do elenco na reapresentação, marcada para esta segunda-feira.

Fonte: globo.com

Share Button

Regenerativo já de olho no CRB-AL

Copa do Brasil

Sem perder tempo ou aproveitar o feriado de Tiradentes, o elenco são-paulino se reapresentou na tarde desta segunda-feira (21) e já trabalhou para entrar em campo novamente. De olho no compromisso contra o CRB-AL, na próxima quarta-feira (23), os jogadores deixaram a vitória sobre o Botafogo (3 x 0) para trás e treinaram normalmente.

Os titulares no confronto contra os cariocas na rodada de abertura do Campeonato Brasileiro de 2014, disputada no último final de semana, ficaram sob os cuidados dos preparadores físicos Zé Mário e Sérgio Rocha. No REFFIS, os atletas fizeram uma atividade regenerativa e, depois, fizeram um complemento de fortalecimento muscular.

Já no gramado do Centro de Treinamento da Barra Funda, com o auxiliar Tata e o coordenador técnico Milton Cruz, o restante do grupo fez um trabalho com bola em campo reduzido. Muricy acompanhou tudo de perto e pôde avaliar os jogadores que brigam por uma vaga no time são-paulino.

Após estrear com o pé direito na maior competição nacional, o Tricolor atuará de novo já na quarta (23). Em Maceió, pela Copa do Brasil, o São Paulo continuará em sua briga por uma vaga na Libertadores da América do próximo ano. Depois de eliminar o CSA, a equipe enfrentará o CRB.

Fonte: Site Oficial

Share Button

Coluna do Zanquetta: O novo presidente…

Reforço Misterioso? Como o Palmeiras não tem dinheiro para manter Kardec e Muricy adora o jogador e o jogador gosta de Muricy que resgatou seu futebol, houve um contato com o pai do atleta. Estão alinhados que se não ficar no Palmeiras, viria para o São Paulo. Esse é o boato de domingo nos corredores do Morumbi.

Há também aqueles que soltaram boatos de Kleber Kotovelo, Robinho e até de Adriano, Imperador.

O mais impressionante é que soltaram ser jogador de Seleção sem especificar ser Sub-15, Seleção Principal ou da Seleção da Uganda…uma chuva de coisas…

Como sempre digo, informação é uma coisa. Chutes ao vento para atrair atenção é outra coisa…

Outros Reforços. Na expectativa de reforço para a zaga e meio, Muricy ainda aguarda o retorno de Toloi e muito provavelmente a contratação de um nome para ser titular. Além disto, precisamos de um meia e o jogador para revezar com Luis Fabiano, o misterioso…

Outro golpe do estatuto? Dizem que Aidar quer mudar o estatuto e fazer uma 3a camisa amarela para homenagear Juvenal que sempre foi do grupo amarelo. Para mim, é mais uma historinha da criativa oposição para tirar a atenção do que presta e ficar de picuinha, procurando audiência em internet e farra nos bastidores.

Ataíde Gil Guerreiro. Sangue quente, temperamental mas exigente, dedicado e amante do Tricolor. Vem cheio de vontade para ser vice de futebol e louco de vontade de fazer grande trabalho e com aspirações políticas. O homem que peitou a CBF, a Globo e Ricardo Teixeira e fez a TV pagar mais que o dobro pelos direitos televisivos. Era apontado como sucessor de Juvenal em 2011 antes da quebra do estatuto. Volta com tudo!

Batata de Milton Cruz assou. Como disse na última semana, Miltom Cruz está na mira. Torcendo para Muricy convencer Ataíde Gil Guerreiro a mantê-lo. A aguardar…

Aidar Presidente e Kalil desistente. Não gosto, não acho legal e não é um tema que agrade a nenhum são paulino nos últimos tempos que é a política do Tricolor. Mas é inevitável e até irresponsável da minha parte simplesmente deixar que passe batido algo com teor tão profundo.

Depois da desistência de Kalil, eu que já estava insatisfeito e inconformado com as posturas e com a conduta no processo de eleição do São Paulo por parte da oposição, fiquei além de decepcionado, fiquei indignado.

O que eu mais queria era um NOVO São Paulo. O que eu mais queria era o grupo de Juvenal fora e uma nova filosofia adentrando aos portões do Morumbi, Barra Funda e Cotia para novos tempos. Pois bem. E que fique claro que isto não é de hoje, é de antes da saída de MAC e muitíssimo antes da saída de Kalil. Quando ninguém respeitava e dava crédito, quando ninguém dava ouvidos a Lapolla, eu, os admins e este Blog sempre respeitamos as opiniões distintas e o debate aberto.

Quando o São Paulo estava quase rebaixado, no clímax dos problemas, foi o auge da oposição, saída de Kalil da atual gestão. Muito antes disso eu, Alexandre Zanquetta, trocava direct messages com MAC, no início de 2013 e e-mails falando sobre o futuro e sua possível candidatura. Portanto, não admito que ninguém venha dizer que apoiamos Aidar ou algum grupo específico até porque eu fazia votos para a mudança.

Mas sempre deixei claro que queria saber o quê e como seria e não quem seria o novo presidente. Ali, tudo que deixei claro a MAC, aconteceu. Por mais que muitos tenham saído do guarda chuva de Juvenal, ainda tinham os que não trocariam de lado por ideologia ou a troco de nada. Muitos tem benesses hoje e vantagens que seriam perdidas com mudança de lado. Tanto é, que até desistência de filho sócio de votar por candidatura do pai foi ventilada na internet. Se o melhor para o São Paulo é um caminho X, você abriria mão por um cargo pleiteado por seu pai mesmo sabendo que é errado? Este é apenas um caso.

Enfim, retornando, muitas coisas começaram a acontecer. O filho de MAC não apoiando o pai, MAC não sendo candidato direto, Kalil saindo da direção e propondo aglutinação e na sequência, mudando a rota, campanha fraca e restrita, discurso frágil e mal preparado que com a recuperação do time no Brasileiro de 2013, caiu por terra. Na realidade, contavam (REPETINDO: contavam, não que torciam) que o São Paulo caísse para a Série B. E com a melhora do futebol, a torcida sossegou e teve uma oscilação quando perdemos da Ponte na Sul Americana e com o hiato de reforços.

Porém, com a perda de Mundial do Galo, assuntos Copa, reforços em Janeiro etc, as coisas entraram em um certo marasmo só interrompido pela questão da cobertura. E aí, quando a oposição me pareceu ter a faca e o queijo na mão, resolveram jogar o queijo fora e enfiaram a faca no próprio peito.

Confundiram os assuntos, misturaram as estações e na hora H, não tinha MAC, não tinha Kalil no evento. Muitos perguntaram e apenas Tércio Molica e alguns poucos tiveram representatividade. A maioria das perguntas foram frívolas, fúteis e apenas voltadas ao social. Aqueles que diziam querer o bem do São Paulo começaram a falar de sauna, churrasqueira, vaga de garagem, quadra de futebol, ping pong e peteca. Ali ficou claro como é falido e medíocre o sistema de votação que escolhe o presidente do São Paulo definido por 6.400 que querem saber do clube e decidem o futuro de 18 milhões.

Depois, sem argumentos válidos e fortes, continuaram o bloqueio e a oposição com a paz no futebol perdeu o rumo. A situação mexeu-se politicamente e nem sempre de forma bela e justa, mas limou as chances da oposição que um dia sonhava. Com isso, Kalil passou a ficar mais agressivo e partiu para o ataque em entrevistas. E se perdeu. Aidar, com seu estilo político diplomático, sua postura calma nos momentos tensos, teve equilíbrio e foi pontuando e amenizando o lado Juvenal de sua imagem. Enquanto isso, Kalil estava perdido e ausente de situações importantes e quando falava, não passava segurança. Ao mesmo tempo, MAC saiu muito de cena e perdeu presença que era sua grande marca midiática.

E o tempo passou, tudo amenizou. Juvenal folclórico tirava a atenção com entrevistas cômicas, Aidar já tinha costurado alianças na CBF, STJ, STJD, FPF, Globo, mantinha proximidade com Record e outros meios. Com apoio irrestrito externo, com sua postura amena e pacífica, calmo e perspicaz, matou os anseios e eliminou grande parte da figura incômoda que Juvenal mantinha na torcida. Aidar por sinal, respondeu tudo que perguntamos na entrevista que nos deu com muito prazer. Kalil agendou, pediu perguntas antes e ainda desmarcou. Conversei com sua assessoria que me prometera agendamento e nada. Sumiram. Um desrespeito.

Há quem pense que esse escape foi conosco. OK, ninguém é obrigado a gostar do nosso Blog, nosso estilo. Mas, dias depois ele também fugiu do pleito. Reeleito na Santa Casa, desistiu do pleito Tricolor com uma desculpa estapafúrdia de listas distintas na votação. Qual a diferença? Se a oposição fosse um dia conseguir impedir, não seria no dia da eleição? E depois? Quando votarem, vão vencer a situação? Com esse papelão indigno da história do São Paulo?

Alguns, chamaram a atitude de Tigres como o time argentino que não quis voltar a campo em 2012 na Sul Americana. Decepcionante e triste. Nem MAC aprovou. E Aidar foi reeleito como candidato único. E ainda tinha gente que ridicularizava Lapolla que numa época mais complexa e mais dominada por Juvenal, foi pra cima, peitou e foi até o fim. Ao menos, foi muito correto e teve muita hombridade de enfrentar a situação.

Bom, em suma, posso afirmar que Aidar pelo que foi e demonstrou na campanha, com dedicação forte familiar e intensa, mereceu vencer. Costurou, estruturou, se preparou e mostrou ser firme para o cargo e o mais importante: Querer Mudar!

O retorno de Athaíde Gil Guerreiro diz muito sobre isso. Coisas mudarão. Coisas DEVEM mudar. A oposição ainda se diz satisfeita pela força conquistada. Eu torço para que sejam mesmo firmes e não mudem em troca de vantagens. Eu espero. E que o Avança São Paulo seja realmente prático e não teórico, que seja efetivo e não utópico. Que Aidar tenha a sabedoria de colocar o São Paulo nos eixos, no trilho e conduza para novos tempos gloriosos. Eu, efetivamente acho que dará certo. Por tudo que se demonstra no novo panorama. Tenho fé nisso…

Quer emitir sua opinião? Mande um texto para o Megafone do Blog do São Paulo!

megafone.blogdosaopaulo@gmail.com

Alexandre Zanquetta

alexandrezanquetta@uol.com.br

twitter.com\blogdosaopaulo

twitter.com\saopaulinosrio

 

Share Button

Análise BR14: SPFC 3 x 0 Botafogo

A esperança que o torcedor do São Paulo leva deste domingo é proporcional à preocupação dos alvinegros depois da vitória de 3 a 0 do Tricolor sobre o Botafogo, no Morumbi, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. O time de Muricy Ramalho sobrou em campo. Foi mais compacto, mais agressivo e mais envolvente. Mereceu vencer – e poderia ter alcançado placar até maior.

O primeiro tempo foi de uma superioridade impressionante para os paulistas. Foi no período inicial que Antônio Carlos e Douglas abriram o placar para o São Paulo, que depois ampliou com Luis Fabiano na etapa final. O setor ofensivo, com Pato, Ganso e Boschilia ao lado do Fabuloso, funcionou muito bem – extremo oposto da zona criativa do Botafogo.

Com o resultado, o São Paulo larga na liderança do Brasileirão, ao lado do Fluminense, que também venceu por 3 a 0 na estreia – contra o Figueirense, no sábado. O Alvinegro divide a lanterna justamente com os catarinenses. A rodada inicial ainda tem três jogos a ser realizados. No próximo domingo, o Botafogo volta a campo contra o Inter, no Maracanã, enquanto o São Paulo visita o Cruzeiro.

Pato São Paulo x Botafogo (Foto: Marcos Ribolli)
Pato é um dos destaques da vitória do São Paulo no Morumbi (Foto: Marcos Ribolli)

Apesar de as duas equipes terem ido a campo recheadas de incertezas, consequência de maus resultados no primeiro semestre, logo ficou evidente a superioridade do São Paulo. Com Pato e Luis Fabiano voltando para ajudar na criação, os laterais aparecendo bem e os meias flutuando pelos lados, o Tricolor engoliu a defesa adversária. Antônio Carlos, com 12 minutos, abriu o placar ao completar para o gol deitado – após cruzamento de Luis Fabiano. Depois, Douglas aproveitou lindo passe de Pato para fintar Jefferson e completar.

O segundo tempo não foi tão discrepante quanto o primeiro, mas o São Paulo seguiu superior. Quando o Botafogo começava a dar sinais de uma possível reação, levou o golpe final em bela jogada dos principais nomes da equipe: de Pato para Ganso, de Ganso para Luis Fabiano, de Luis Fabiano para o gol. Mesmo com a vitória garantida, o Tricolor seguiu jogando sério, pressionando a defesa adversária. Perdeu outros gols – especialmente com Fabón – enquanto se garantiu atrás com boas defesas de Rogério Ceni.

Fonte: Globo.com

Share Button