Análise BR13: Goiás 2×1 SPFC

Onze anos. Desde o dia 9 de agosto de 2003, Kaká não vestia a camisa do São Paulo para exercer a sua profissão. Neste 27 de julho de 2014, o atleta que deixou o Morumbi como uma promessa, mas aos gritos de “pipoqueiro”, voltou ao time que o revelou para liderar uma possível caminhada ao título brasileiro. O primeiro passo, porém, foi frustrado. Em sua reestreia com a camisa tricolor, o camisa 8 balançou as redes, mas o Goiás usou do jogo áereo para vencer o São Paulo por 2 a 1 em jogo válido pela 12ªrodada do Campeonato Brasileiro.

Kaká foi titular e disputou todos os minutos da partida. Muito participativo, mostrou-se entrosado com seus novos companheiros de equipe e fez praticamente de tudo, principalmente no primeiro tempo. Cobrou faltas, escanteios, arriscou chutes de fora da área e até caneta aplicou no meio de campo. No segundo tempo, fez gol digno de um típico centroavante, mas a defesa de sua equipe já havia falhado duas vezes pelo alto, permitindo a Amaral e Bruno Mineiro anotarem os primeiros tentos da partida.

O triunfo por 2 a 1 faz com que o time goiano suba aos 20 pontos, ultrapasse o rival deste domingo e alcançe a sétima posição da competição nacional. Por sua vez, o São Paulo estaciona nos 19 tentos e, se tinha chances de encerrar a rodada na vice-liderança, cai para o oitavo posto. Já são nove pontos de desvantagem para o primeiro colocado, Cruzeiro.

Fonte: Terra

Share Button

Preleção BR-2014: Goiás x São Paulo

Goiás x São Paulo

Após a inesperada derrota para a Chapecoense em casa no último sábado, a pergunta que fica é: qual São Paulo veremos em campo? Certamente a última exibição deixou a torcida desconfiada, afinal de nada serviu 70% de posse de bola sem objetividade… nem faltas os jogadores conseguiram cavar e Muricy foi medroso. O Tricolor despencou de 3º para 7º; nosso adversário ocupa a 10ª colocação. Já estávamos a 6 pontos atrás do Cruzeiro… agora são 9 pontos a menos. A vitória de hoje é crucial para nos manter focados no título.

A grande notícia é a estreia de Kaká, finalmente! Foram quase 11 anos de espera desde a vitória por 3×1 diante do Juventude no dia 09 de agosto de 2003. Desde então, Kaká virou ídolo no Milan, onde conquistou a Champions League de 2007/08, foi eleito o melhor do mundo nesta mesma temporada; depois passou pelo Real Madrid, porém, devido a lesões e a Mourinho, não foi nem sombra dos tempos de Milan; Voltou ao Milan no último ano e foi agora para o Orlando City, que emprestou o meia ao Tricolor por 6 meses. No Mais Querido, fez 125 jogos e marcou 47 gols, tendo no currículo o título do Rio-São Paulo 2001.

Ainda falando em reestréias, Rafael Toloi fará a sua justamente contra o clube que o revelou. Com Kaká e Tolói, o time passa a jogar no 4-4-2, com dois meias criativos municiando o ataque, hoje com o incansável Ademilson e Alan Kardec. Quem dança com isso são Osvaldo e o ídolo do Muricy, o péssimo Maicon!! Porém ainda é cedo para comemorar a ausência do péssimo volante… vai que Muricy mude de ideia só para sacanear a torcida? Enfim, concluindo, Rodrigo Caio volta para o meio de campo, e Lucão entra na vaga de Antonio Carlos (nosso zagueiro artilheiro sentiu a parturrilha). Os demais desfalques são Luís Fabiano, Paulo Miranda e Denilson.

Adversário indigesto ultimamente, principalmente atuando no Serra Dourada, o Goiás largou bem no BR antes da parada para a Copa, porém ainda não venceu após (dois empates, ambos por 0×0). Busca diante do Tricolor a reabilitação. O elenco esmeraldino é modesto, com nomes como Thiago Mendes, Jackson, Lima, entre outros. Os mais conhecidos são o goleiro Renan (ex Inter) e o lateral direito Moisés (ex Ponte). O comandante Ricardo Drubscky nega marcação individual em Kaká… será??

Analisando o tri-campeonato do Tricolor, chego a conclusão de que o futebol bonito é o de menos. É claro que é ótimo ver um time que encha os olhos, mas no futebol de hoje isso está raro. O que vai pesar na reta de chegada são os pontos desperdiçados contra times inferiores em casa, ou ainda quando mesmo aos trancos e barrancos conquistamos 3 pontos. As dúvidas são muitas: como será a estreia de Kaká? E o futebol, será convincente ou modorrento? Rogério Ceni conquistará a vitória de número 600. Que venha o Goiás! #3Cores1SóTorcida!!!

Por: Leandro Teixeira

 

GOIÁS X SÃO PAULO

Data: 27/07/2014, as 16h00 (hora de Brasília)

Estádio: Serra Dourada, em Goiânia/GO

Árbitro: Leandro Vuaden/RS

Auxiliares: Rafael da Silva Alves/RS e José Antonio Chaves Franco Filho/RS

Goiás: Renan,Moisés, Jackson, Pedro Henrique e Lima; Amaral, Thiago Mendes, David e Ramon; Erik e Bruno Mineiro. Técnico: Ricardo Drubscky

São Paulo: Rogério Ceni, Douglas, Rafael Tolói, Lucão e Alvaro Pereira; Souza, Rodrigo Caio, Ganso e Kaká; Ademilson e Alan Kardec. Técnico: Muricy Ramalho

Transmissão: PFC

Share Button

422 jogos de muito trabalho

Muricy Ramalho

No próximo domingo, quando começar o jogo entre São Paulo e Goiás, pelo Campeonato Brasileiro, em Goiânia, o técnico Muricy Ramalho chegará a uma marca importantíssima: pela 422ª vez, ele estará no comando do Tricolor na beira do gramado.

Esse número é tão expressivo pois faz com que Muricy chegue ao segundo lugar no ranking de técnicos que mais dirigiram o São Paulo na história, empatando com José Poy, um dos icônicos treinadores do São Paulo e mais importantes para o atual comandante são-paulino.

“Me emociona chegar a esse número, pois quando se fala dessas pessoas como o Poy, o Telê, a gente volta ao passado e lembra dos momentos muito bons que passamos com eles. O Poy foi meu treinador no juvenil, depois no profissional, e aprendi muita coisa com ele. Não é importante bater recordes por bater, mas porque seguimos o caminho de pessoas que a gente gosta. Se ele e o Telê estivessem vivos, com certeza estariam muito contentes por eu estar chegando nesse número”, afirma o treinador tricolor.

Para Muricy, alguns fatores o ajudaram a chegar nessa marca impressionante. “Um profissional bater recordes como o próprio Poy, Feola, essas pessoas, tem que ter a competência do profissional. E também tem que ter dedicação, esses caras todos tinham muita. Só se chega nesses números pela forma com que se se entrega porque é muito difícil permanecer muito tempo no clube assim”, completa.

E é óbvio que Muricy tem muita história pra contar em tantos jogos à frente do Tricolor. Mas sobre a primeira partida que fez como técnico, no dia 23 de janeiro de 1994, goleada de 4×1 sobre o Santo André, ele confessa que a lembrança não é mais tão clara, mas que a sensação de frio na barriga nunca será esquecida.

“Faz muito tempo isso, mas acho que eu ainda não era o treinador titular, eu assumia quando o Telê já estava cansado, fim do ano, ele tirava uns dias a mais de férias e eu que começava os Campeonatos Paulistas. Na época era muito difícil pra mim,porque eu era muito novo pra ser técnico e só dirigia cara estrela, tudo campeão do mundo, bicampeão, gente de Seleção Brasileira, só cara famoso”, diz.

“Era muito difícil você parar na frente dessas pessoas pra comandar. Eu lembro muito bem disso, um dia antes do jogo era complicado, tinha muita ansiedade da minha parte mesmo com a experiência como jogador. O mais difícil era isso, parar na frente desses caras e fazerem eles entenderem que eu era técnico naquele momento”, lembra.

De lá pra cá foram centenas de jogos à frente não só do São Paulo, o que deu muito, mas muito mais experiência para o treinador. E o que mudou desde aquele dia?

“Ah, muda muito, muda a experiência, você muda demais como pessoa, você muda em todo sentido como técnico, você passa a estudar mais, olhar mais o futebol, porque no começo a gente acha que é uma coisa, bate muito de frente às vezes e vamos mudando, tendo mais cintura, paciência, um pouco mais de calma com jogadores”, cita.

“Também tem a experiência da vida. Hoje a gente olha muito o lado do jogador como pessoa também. O Poy e o Telê insistia muito nisso, que é nossa obrigação orientar os jogadores pro futuro deles, a gente vê muitos ex-jogadores financeiramente muito mal e a gente tenta orientar, passar isso. Vamos mudando, tendo outros focos na vida.”

Faltando mais 110 jogos para chegar a Vicente Feola como o técnico que mais dirigiu o clube, Muricy sabe que esse caminho não será fácil, mas tem uma certeza: será incrível poder ser lembrado como o técnico que mais vezes comandou a equipe são-paulina.

“Seria maravilhoso, claro, eu nem pensava nisso, sinceramente esses recordes que bato vocês que me falam. Tenho algum tempo de contrato com o clube ainda, e se ficar até o final do contrato eu posso alcançar o Feola. Pra cumprir meu contrato sei que preciso estar ganhando, melhorando meu trabalho, seria uma marca expressiva e muito difícil de ser alcançada. Espero que a diretoria do São Paulo tenha paciência comigo (risos) e que eu consiga bater esse recorde, seria algo muito importante pra mim, por ter nascido aqui, ter me criado aqui, e quem sabe encerrar minha carreira batendo esse recorde”, finalizou.

Fonte: Site Oficial

Share Button

Muricy relaciona 20 jogadores para o jogo deste domingo, contra o Goiás


Kaká é a principal novidade na relação para a partida válida pela 12ª rodada do Brasileiro. Antônio Carlos, Denilson, Paulo Miranda e Luis Fabiano são desfalques

Com os desfalques do zagueiro Antônio Carlos, que sentiu um incômodo na panturrilha esquerda, e do volante Denilson, que está com sinusite, o técnico Muricy Ramalho definiu a lista dos atletas relacionados para a partida deste domingo, contra o Goiás, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. O duelo será realizado no estádio Serra Dourada e marcará a reestreia de Kaká com a camisa da equipe que o revelou para o futebol.

No total, 20 jogadores viajarão para a capital goiana. Além de Kaká, a relação tem outras duas novidades: o zagueiro Rafael Toloi, que voltou de empréstimo ao Roma, e o lateral-esquerdo Reinaldo, que se recuperou de torção no tornozelo esquerdo.

O atacante Luis Fabiano e o zagueiro Paulo Miranda seguem no Departamento Médico. O primeiro se recupera de um estiramento muscular na coxa direita, enquanto que o segundo aprimora a forma física.

O time provável para este domingo: Rogério Ceni; Douglas, Rafael Toloi, Lucão (Edson Silva ou Rodrigo Caio) e Alvaro Pereira; Souza, Rodrigo Caio (Maicon), Paulo Henrique Ganso e Kaká; Ademilson e Alan Kardec.

Veja abaixo a lista dos relacionados

Goleiros: Rogério Ceni e Denis
Laterais: Douglas, Alvaro Pereira, Luis Ricardo e Reinaldo
Zagueiros: Edson Silva, Lucão e Rafael Toloi
Volantes: Rodrigo Caio, Souza e Hudson
Meias: Kaká, Paulo Henrique Ganso, Maicon e Boschilia
Atacantes: Alan Kardec, Ademilson, Alexandre Pato e Osvaldo

Fonte: globo.com

Share Button

Homenagem ao eterno Mestre

Hoje, 26/07/2014, Telê Santana completaria 83 anos, caso estivesse vivo.

Vivo. Para a torcida Tricolor ele sempre estará. Seja em lembranças, recordações, imagens…

Nunca um técnico foi tão idolatrado mesmo após anos e anos de sua partida para o plano maior.

Saudades eternas, Mestre. De sua humildade, sabedoria, seu jeito paizão , mas principalmente da forma como ensinou a todos nós a amar ainda mais o Futebol.

 

imagem_420_destaque

 

 

 

 

 

Share Button

São Paulo vê crescimento de 50% e chega a 30 mil sócios-torcedores

Torcida

O São Paulo superou nesta sexta-feira a marca de 30 mil sócios-torcedores no “Movimento por um Futebol Melhor”. O clube do Morumbi ocupa agora a 9ª colocação noranking do “Torcedômetro”, com 30.031 associados.

Neste ano, o clube do Morumbi teve crescimento superior a 50% no número de sócios-torcedores. O time tricolor saltou de 19.960 associados, em dezembro de 2013, para os 30 mil atuais.

A maior evolução se deu entre os meses de abril e maio, quando o clube pulou de 22.450 para 28.555. Somente nos últimos três meses, o São Paulo ganhou mais de 7 mil novos sócios.

A equipe oferece três categorias de planos aos seus torcedores: o “Sou Tricolor”, por R$ 12 mensais; o “Standard”, por R$ 30 mensais; e o “Premium”, por R$ 100 mensais.

O líder do “Torcedômetro” é Internacional, com 120 mil sócios-torcedores. Entre os clubes paulistas, o Santos é o 4º, com 55.506, seguido pelo Corinthians, 6º, com 51.538, e o Palmeiras, o 7º, com 39.449 associados.

Fonte: Espn.com.br

Share Button

Muricy descarta “bico” dos reservas e brinca com Ademilson: “Muito feio”

Com a entrada de Kaká e a mudança do esquema tático, Maicon e Osvaldo acabaram barrados. Treinador diz que é justo e que dá oportunidade para todo grupo

Muitas estrelas para poucas vagas. Com a chegada de Kaká, que fará sua estreia no São Paulo neste domingo, na partida contra o Goiás, o técnico Muricy Ramalho modificou o esquema tático e tirou duas das peças que mais disputaram jogos na temporada: Maicon, que atuou em 30 das 31 partidas do time e Osvaldo, que esteve em presente em 26 confrontos e é o maior assistente da temporada, com 11 passes para gols.

Maicon perdeu a vaga para Rodrigo Caio, que deixou a zaga e foi para o meio-campo com a entrada de Rafael Toloi ao lado de Antônio Carlos. Já o segundo foi o sacrificado para a entrada de Kaká e, em entrevista, deixou claro que ficou decepcionado com a atitude tomada pelo comandante são-paulino.

Questionado sobre o assunto, o técnico Muricy Ramalho deixou claro que não tem medo que algum jogador faça “bico” e que pensa no melhor para o time.

- Já falei várias vezes que vou fazer o que for melhor para o time, não importa se tem nome. Ou então, os meninos não vão ter chance nunca. Faço o que é melhor para o time. Lá atrás, quando coloquei para jogar, não dei explicação. Os jogadores são profissionais, sabem que aqui não tem essa de preferência. Vai começar a maratona de jogos e todo mundo tem de estar bem para jogar. Por isso, esse ano o ambiente está muito melhor. É só esperar a oportunidade – afirmou o treinador.

Com a mudança do esquema tático, Osvaldo perdeu a vaga para Ademilson, que vem agradando pela disposição tática nas últimas partidas. Muricy até brincou com o jogador.

- Ele é feio. Muito feio aliás. Tem de aproveitar a fase no futebol para colocar aliança logo. Ou então…(risos) – disse.

O São Paulo está praticamente definido para a partida deste domingo. Antônio Carlos, que sentiu dores na panturrilha no treino pela manhã, será reavaliado no sábado, mas deve jogar. A equipe terá a seguinte formação: Rogério Ceni; Douglas, Rafael Toloi, Antônio Carlos e Alvaro Pereira; Rodrigo Caio, Souza, Paulo Henrique Ganso e Kaká; Ademilson e Alan Kardec.

Muitas estrelas para poucas vagas. Com a chegada de Kaká, que fará sua estreia no São Paulo neste domingo, na partida contra o Goiás, o técnico Muricy Ramalho modificou o esquema tático e tirou duas das peças que mais disputaram jogos na temporada: Maicon, que atuou em 30 das 31 partidas do time e Osvaldo, que esteve em presente em 26 confrontos e é o maior assistente da temporada, com 11 passes para gols.

Maicon perdeu a vaga para Rodrigo Caio, que deixou a zaga e foi para o meio-campo com a entrada de Rafael Toloi ao lado de Antônio Carlos. Já o segundo foi o sacrificado para a entrada de Kaká e, em entrevista, deixou claro que ficou decepcionado com a atitude tomada pelo comandante são-paulino.

Questionado sobre o assunto, o técnico Muricy Ramalho deixou claro que não tem medo que algum jogador faça “bico” e que pensa no melhor para o time.

- Já falei várias vezes que vou fazer o que for melhor para o time, não importa se tem nome. Ou então, os meninos não vão ter chance nunca. Faço o que é melhor para o time. Lá atrás, quando coloquei para jogar, não dei explicação. Os jogadores são profissionais, sabem que aqui não tem essa de preferência. Vai começar a maratona de jogos e todo mundo tem de estar bem para jogar. Por isso, esse ano o ambiente está muito melhor. É só esperar a oportunidade – afirmou o treinador.

Com a mudança do esquema tático, Osvaldo perdeu a vaga para Ademilson, que vem agradando pela disposição tática nas últimas partidas. Muricy até brincou com o jogador.

- Ele é feio. Muito feio aliás. Tem de aproveitar a fase no futebol para colocar aliança logo. Ou então…(risos) – disse.

O São Paulo está praticamente definido para a partida deste domingo. Antônio Carlos, que sentiu dores na panturrilha no treino pela manhã, será reavaliado no sábado, mas deve jogar. A equipe terá a seguinte formação: Rogério Ceni; Douglas, Rafael Toloi, Antônio Carlos e Alvaro Pereira; Rodrigo Caio, Souza, Paulo Henrique Ganso e Kaká; Ademilson e Alan Kardec.nte: globo.com

Share Button

Coluna do Pastor: Base Tricolor

Confiram na coluna de hoje informações sobre os torneios que a base vem disputando e vai disputar, além de informações de renovação de contrato e negociações.

Sub 15 e Sub 17: As duas categorias voltaram a jogar pelo paulista depois de um mês de férias em virtude da copa do mundo, as equipes treinaram apenas uma semana, mas fizeram bons jogos na volta do time aos campos de Cotia, que durante o período pré-copa estava cedido à seleção da Colômbia e dos Estados Unidos. Os dois times enfrentaram a Portuguesa, o time sub 15 fez um bom jogo, pressionou, mas não conseguiu fazer nenhum gol e empatou por 0 a 0. Já o Sub 17 fez uma grande partida, mostrando o bom conjunto que tem e fez 3 a 0, com destaque para os dois autores dos gols, David Neres e Rony que foi capitão da equipe com a ausência do goleiro Lucas. Os times voltam a campo no próximo Sábado.

Negociações: A base tricolor está movimentada nos bastidores, o jovem Ademilson teve novamente contato com um representante do Milan, que pode fazer em breve uma proposta pelo garoto, Já Rodrigo Caio, melhor jogador do torneio de Toulon agora além do Arsenal tem interesse também do Barcelona. E pra finalizar Joao Schmidt acertou sua ida para o “brasileiríssimo” Vitoria de Setúbal, que já conta com os jovens Giovani, centroavante 92 ex Internacional, Marcos Vinicius, zagueiro ex Corinthians, Além de Diego Mauricio e Yann (Informação vinda do colaborador Gabriel Esteves).

Revolta: É no mínimo ridículo o que fez Muricy no jogo contra a Chapecoense. Colocar o garoto Ewandro que não jogava a um bom tempo, com o time perdendo e ele tendo que resolver o jogo, com 43 mil torcedores pressionando, algo que parece ate planejado pra queimar ele. Muricy assuma logo que não gosta de trabalhar com a base e pronto, não tente queimar a carreira de um promissor atacante da nossa base, se continuar desse jeito não vamos revelar mais jogadores tão cedo…

Convocação Sub 20: A seleção sub 20 do Brasil vai disputar um torneio em Valencia, na Espanha, entre os dias 12 e 20 de agosto. Três tricolores foram convocados e serão desfalques durante esse período, são eles: Lucão, Auro e Boschillia.

Renovação: O São Paulo, sabendo do interesse de grandes clubes pelo lateral Auro já busca renovar o vinculo do atleta que vence em fevereiro de 2016 pode ser renovado ate 2020 com aumento da multa e salario do atleta, duas conversas já foram feitas e as duas partes, a principio, se mostraram satisfeitas. Novas negociações devem acontecer em breve pra bater o martelo

Weifang Cup: O time tricolor embarcou na noite de Quarta feira dia 23 para a China onde tentara ganhar mais uma vez o campeonato que ganhou em 2013. O time aproveitou a pausa do paulistão e voltou a treinar a duas semanas pra competição. 17 jogadores do sub 20 viajaram para o torneio que acontece na China. Confira os jogos e a relação de jogadores abaixo:

Tabela de jogos (horário chinês, 11h a mais que horário de Brasília):
27/07, 16h – São Paulo x Chivas
28/07, 16h – Wolfsburg x São Paulo
30/07, 9h – Seleção da China x São Paulo

Goleiros
1 – Rafael Leder
12 – Lucas Paes

Laterais
2 – Foguete
6 – Inácio

Zagueiros
3 – Hugo
4 – Lucas Kal
13 – Vitor Tormena
14 – Silas

Meio-campistas
5 – Gustavo Hebling
7 – Matheus Reis
8 – Matheus Queiroz
10 – Leonardo Prado
15 – Felipe Araruna

Atacantes
9 – Bruno
11 – Joanderson
16 – João Paulo
17 – Pedro Bortoluzo

 

Fonte: Site Oficial do São Paulo Futebol Clube

Por: Rômulo Maia

 

Share Button

São Paulo trabalha para anunciar novo patrocinador logo após saída do atual

Camisa SP

Com uma folha salarial de R$ 10 milhões mensais, o São Paulo disputará no próximo domingo, diante do Goiás, sua última partida com o patrocínio da Semp Toshiba, empresa que desembolsava R$ 25 milhões anuais para ter sua marca no espaço nobre do uniforme tricolor. Apesar de o acordo ter sido encerrado antes do previsto em contrato (acabaria em dezembro), o clube trabalha para anunciar seu novo patrocinador dentro de um prazo muito rápido.

O diretor de comunicação do clube, Douglas Schwartzmann, diz que algumas negociações já estão adiantadas e o clube pretende anunciar novidades rapidamente.

- Estamos em conversas com várias empresas. Com cada uma, é um tipo de negociação. Pode ser apenas um patrocinador master, podem ser vários, pode ser uma empresa que tem várias marcas e reveze a que ficará exposta. O acordo com a Semp Toshiba acaba no dia 30 de agosto e a ideia é que o São Paulo não fique sem patrocinador – afirma.

Outra ideia é que o clube venda quatro ou cinco cotas do mesmo valor para vários patrocinadores, que a cada jogo teriam seus nomes expostos em uma parte do uniforme.

Uma questão que está definida pela comissão que busca o novo parceiro é que o clube não aceitará mais ofertas de patrocínio temporário – quando o clube fecha acordos válidos apenas para um jogo. Essa ideia foi criada em 2009 pelo então diretor de marketing Adalberto Baptista. Na época, o vice de marketing, Julio Casares, se mostrou contrário, mas Juvenal Juvêncio acabou abraçando a ideia.

- Esse tipo de negócio não nos interessa mais. O São Paulo quer parceiros fortes e por muito tempo – diz Schwartzmann.

Mesmo ressaltando a importância de ter um patrocinador, Douglas diz que o clube tem outras fontes de receitas e que, se for necessário, seria possível atuar com a camisa limpa.

- Hoje o patrocínio é uma fonte importante, mas não é única. O estádio do Morumbi nos proporciona muitos ganhos com tudo que foi montado. Temos parceiros importantes no estádio que nos ajudam bastante. A Casa Pelé, evento que foi montado no estádio durante a Copa, foi um enorme sucesso e temos tudo praticamente acertado para que o negócio seja prorrogado até o final do ano, em outro lugar do estádio. Além disso, o São Paulo tem vida financeira saudável e não teria grandes problemas em ficar até seis meses com a camisa limpa – disse.

O clube não fala em números, mas a ideia é de que um novo patrocinador desembolse cerca de R$ 35 milhões para estampar sua marca na camisa

Fonte: Globo.com

Share Button

Imagem

Muricy_Maicon_10

Por: Rony George

Share Button