Coluna do José Renato: 24 de julho de 1994, quando enterramos o sonho palmeirense.

colunas

O Palmeiras era considerado um dos grandes favoritos para a conquista da Taça Libertadores de 1994.

Com uma equipe gerida e bancada pela empresa italiana Parmalat, o alviverde nos enfrentou pelas Oitavas de Finais daquela competição.

Em 27 de abril em partida realizada no Pacaembu, o Palmeiras dominou o Tricolor, algo inusitado e totalmente inesperado, afinal, éramos os atuais bicampeões sul-americanos.

O que se viu naquele jogo foi uma grande atuação de Zetti que praticamente fechou o gol.

No entanto, ao final, fomos terrivelmente prejudicados pela arbitragem.

Apenas o arbitro João Paulo Araújo não viu o meio campista César Sampaio puxar o atacante Euler dentro da área.

Um escândalo.

Alguns dias depois, as duas equipes voltaram a se encontrar, desta vez no Morumbi em partida válida pelo Campeonato Paulista.

Em um dia histórico, marcado pela morte de Ayrton Senna, 1° de maio, o Palmeiras venceu por 3 a 2, de virada, dando um grande passo para a conquista do estadual.

Estes jogos fizeram com que toda a diretoria e comissão técnica palmeirense comandada por Vanderlei Luxemburgo, considerasse o jogo da volta, apenas como um jogo qualquer.

A certeza de classificação era tanta, que o Palmeiras aproveitou a Copa do Mundo para excursionar pelo Japão.

Segundo alguns de seus dirigentes para conhecer e definir detalhes da sua viagem ao final do ano para decidir o Mundial.

Pois é…

Futebol não se vence assim.

Após a Copa do Mundo, em 24 de julho de 1994, São Paulo e Palmeiras voltaram a se enfrentar.

Talvez na única grande partida de Euler, vestindo a camisa tricolor, o São Paulo despachou o Palmeiras após uma convincente vitória de 2 a 1, com dois gols do “Filho do Vento”.

Para lembrar, aquele dia, o Mestre Telê escalou o Tricolor com Zetti, Júnior Baiano, Válber, Gilmar, Vítor, Axel, Cafu depois Juninho, Palhinha depois Ronaldo Luís, André Luís, Euller e Muller.

Vale relembrar: http://www.youtube.com/watch?v=2wttZXldnxo

Share Button

Megafone: Pato

megafone

 

Uma notícia que li nos últimos dias, inclusive neste blog, me fez ficar em choque: Alexandre Pato, 12 jogos depois de chegar ao Tricolor, pode estar voltando para a Itália.

Desde sempre, sabíamos que se tratava de um negócio de risco. O São Paulo abria mão de um infeliz Jadson no seu último ano de contrato, e recebia em troca um jovem atacante, de passado promissor e presente incógnita. O clube de Itaquera pagaria metade do salário do atacante e o integral do meia, mas teria carta branca para vendê-lo em caso de propostas acima de 15 milhões de euros (em 2014) e 10 milhões de euros (em 2015).

Traçando-se dois cenários extremos mas possíveis para o desenrolar desta negociação, vejo que estamos à beira do maior chapéu que já levamos de um rival, superando episódios como Cafú no Palmeiras ou Ricardinho no Santos.

No cenário mais positivo, Jádson não vingaria no time de Itaquera, e Pato chegaria disposto e jogando bem, apenas não o suficiente para que algum clube europeu pagasse os valores propostos no acordo de empréstimo.

No cenário mais desfavorável possível, Jádson voltaria a ser o jogador de razoável para bom que ele já conseguiu ser, e Pato jogaria bem demais pelo Tricolor em seus jogos pré-Copa do Mundo, fazendo com que a Europa irremediavelmente pagasse os 15 milhões que há até pouco tempo atrás ríamos pelo rival ter desembolsado.

Eis que chegamos a julho com Pato na reserva. Não de Kaká, nem de Alan Kardec, mas de Ademilson. Foram 3 gols em 12 jogos, com um começo muito bom e um ‘final’ ruim.

Sinal certeiro de que poderíamos assistir a Copa em paz, seguros de Pato estaria no elenco, com beicinho ou não, na volta do Brasileirão.

O problema é que a notícia que se veicula por aí é de que nosso falastrão e ousado novo/velho presidente estaria disposto a aceitar a liberação de Pato por um valor abaixo do acordado com Itaquera.

Estou ficando louco, ou isso é nada menos do que ajudar o adversário, candidato aos mesmos títulos que o Tricolor no 2º semestre, a amenizar o prejuízo que estavam fadados a ter com o atacante?

E a troco de que? De economizar os, dizem, R$ 350 mil de salário que correspondem ao São Paulo? Para quem não lembra, isso é o que pagávamos pelo Kicker Pábon. E se Pato for embora, Muricy já disse que quer reposição, o que significa gastar também.

Sem pensar duas vezes, digo: deixem o leite-com-pêra no Morumbi. É bom jogador, caso esteja disposto. Disposição que pode vir com a chegada do amigo Kaká. Caso não esteja disposto, deixem ele lá, no banco mesmo. Mais vale um Pato infeliz no banco do que um galinheiro inteiro sorrindo com dinheiro.

 

Por: Wagner Moribe 

Share Button

Megafone: Tricolor no Futsal – Driblando curto com Cleiton

megafone

 

 

E ai, pessoal, tudo certo?

Vamos iniciar um trabalho junto com o site para acompanhar o Futsal (ou futebol de salão) do nosso tricolor. Na verdade é a primeira vez que efetivamente faço um trabalho assim, e estou atendendo um chamado que o Zanquetta faz sempre em suas colunas, pedindo colaborações para, juntos, fazermos um blog nosso, cada vez mais legal. Portanto galera, é muito importante sentir o interesse pelo assunto, sugestões, críticas, todas serão muito bem vindas, e desde já, agradeço a oportunidade e espero que gostem.

A coluna será semanal, sempre às quartas, e trará um resumo dos jogos realizados durante a semana da Liga Nacional de Futsal, que iniciou dia 14 deste mês e já tivemos 03 rodadas. Também, aos poucos, vou trazendo curiosidades e história do Futsal Tricolor.

Explicando o Campeonato

A Liga Nacional de Futsal 2014 é disputada por 19 equipes, que jogam entre si em turno único, classificando os 16 primeiros para a segunda etapa. Os 16 classificados são divididos em quatro grupos com quatro equipes cada, com jogos de turno e returno, classificando os 02 primeiros de cada grupo para as quartas de final. A partir desta etapa, ainda em jogos de turno/returno, o campeão é definido no clássico sistema mata-mata.

Nosso Tricolor na Liga

O time do São Paulo (FIB/São Paulo) tem sua sede em Bauru – SP, em um sistema de parceria com a FIB (Faculdades Integradas de Bauru), e manda seus jogos no Ginásio de Esportes da faculdade, o Duduzão, que, antes de iniciar a liga, teve ameaçado o mando de campo na cidade pela capacidade do estádio ser de apenas 600 lugares. Uma parceria da Prefeitura Municipal de Bauru e uma empresa de engenharia cederam sem custos, uma arquibancada com capacidade móvel para mais 400 torcedores, aumentando assim para 1000 lugares, exigência da liga para os mandos de jogos da competição (artigo 14 do regulamento).

Jogo de Estreia – FIB/São Paulo 3 x 2 AD São Bernardo (14/07/2014)

Contando com um público tímido, O São Paulo foi pressionado desde o começo, até que levou o primeiro gol aos 16 minutos da primeira etapa com Portuga. No lance seguinte o São Paulo empatou com jogada do fixo Fabrício. Logo aos 18 minutos, ainda no primeiro tempo, o mesmo Fabrício foi derrubado e o juiz deu pênalti para a equipe FIB/SPFC. Gol do fixo Léo Bomfim.

A equipe do ABC ainda empataria com Sandro, no início do segundo tempo e o ala Welinton deu números finais ao jogo, em linda jogada. A equipe de São Bernardo ainda reclamaria de um suposto pênalti, não assinalado pelo juiz, alegando toque de mão de Léo Bomfim.

Melhores Momentos da partida: https://www.youtube.com/watch?v=5TA-pfRLOJE

Segunda Rodada – Carlos Barbosa 1 x 1 FIB/São Paulo (19/07/2014)

O frio de 6º do Sul não deixou o jogo esquentar desde o início. Um jogo fechado, de muita marcação, o Tricolor Bauruense tímido, viu seu adversário, o tetracampeão da liga, Carlos Barbosa, abrir o marcador com o Pivô Sinoê, aos 4 minutos do primeiro tempo.

A resposta do FIB/São Paulo veio aos 14 minutos, ainda no primeiro tempo, após cobrança de escanteio do Ala Fininho, o Fixo Léo Bomfim chuta colocado, no canto do goleiro Gian, empatando a partida.

O destaque da partida ficou por conta do nosso goleiro Paulo Vitor, defendendo, pelo menos 4 bolas que dariam outro resultado a esta partida.

A polêmica da partida foi um toque de mão do goleiro Gian do Carlos Barbosa, fora da área, não anotada pelo árbitro da partida.

 

Gols da partida: http://sportv.globo.com/videos/futsal/t/ultimos/v/os-gols-de-carlos-barbosa-1-x-1-sao-paulo-pela-liga-futsal/3509735/

 

Terceira Rodada – ASSOEVA 3 x 0 FIB/São Paulo (21/07/2014)

 

Continuando nossa expedição às terras do Sul, o São Paulo conhece sua primeira derrota. A ASSOEVA (Associação Esportiva de Venâncio Aires) viu um tricolor ofensivo, com ótimas chances de abrir o marcador, mas o grande destaque da noite, o goleiro Bazílio da ASSOEVA não deixou a bola tocar as redes.

Com o domínio da partida no primeiro tempo, o Ala Thiaguinho tratou de jogar um balde de água fria na empolgação tricolor, abrindo o marcador para a equipe do Sul.

No segundo tempo, o Tricolor pressionou, sem sucesso e ficou a mercê de contra ataques perigosos, obrigando nosso goleiro Paulo Vitor a fazer várias defesas importantes. Mas, como quem não faz, toma, aos 12 minutos, o fixo Fuste aumentou o placar para a equipe do Sul. O técnico tricolor, André, colocou o ala Fininho como goleiro linha, buscando aumentar a pressão. Acabamos tomando o terceiro gol em um chute de longe, para um gol vazio.

 

Após a terceira rodada, o tricolor está na intermediária da tabela, em 7º, com 4 pontos, e joga a próxima partida nesta sexta, dia 25, às 19h15 no ginásio Duduzão, em Bauru. Você da região que puder acompanhar, compareça e apoie nosso tricolor!

 

Por: Cleiton 

Share Button

”Temos que aprender a sair da retranca”

Diante da Chapecoense, no último sábado, o São Paulo não conseguiu o resultado esperado para o retorno da equipe ao Brasileiro. Apesar de ter controlado o jogo e ter tido até 70% de posse de bola durante o confronto, os tricolores acabaram derrotados pelo placar mínimo.

Isso porque o rival veio bem postado na defesa e acabou complicando bastante para o setor criativo do Tricolor. O volante Souza lembra que o time vai enfrentar esse tipo de postura diversas vezes, já que os times rivais vêm ao Morumbi tentando pelo menos conseguir um ponto, e por isso mesmo os são-paulinos precisam aprender a sair dessa situação.

“Contra equipes com maior tradição, conseguimos jogar. Contra menores, tivemos um pouco de dificuldade. O que temos que encontrar é uma alternativa para furar essa retranca. Se tivéssemos vencido, falariam que a posse de bola teria sido 70%, que o São Paulo jogou muito. Eles tiveram uma jogada, fizeram gol. Mas não é porque perdemos que fomos muito mal. A gente jogou razoavelmente bem, mas levamos azar em um erro de marcação coletivo”, afirmou o camisa 5.

Para conseguir superar essa retranca, Souza acredita que uma das forças são-paulinas será a bola parada. No jogo de sábado, o time até tentou muitas jogadas assim, mas não consegui ter sucesso.

“Temos que aproveitar mais as bolas paradas. Temos jogadores altos que cabeceiam bem, como Antonio Carlos, Alan Kardec. Quando tivermos chances, precisamos aproveitar”, completou o jogador.

Com a derrota, o São Paulo caiu da terceira para a sexta posição na tabela de classificação do Nacional, e para que a distância para os líderes não aumente, a equipe não pode mais deixar pontos importantes de casa escaparem.

“Não podemos ficar oscilando na competição, porque foge totalmente ao objetivo de chegar ao título. Antes de parar para a Copa, fomos a equipe que fazia gol em todos os jogos. Contra a Chapecoense, a gente foi na mesma tônica, mas ficamos sem fazer, diante da nossa torcida, na nossa casa, e isso não pode acontecer porque o campeonato está muito regular. Temos que estar ligados o tempo”, finalizou.

Fonte: Site Oficial

Share Button

Rafael Toloi quer aproveitar semana livre para ficar à disposição de Muricy


Defensor que retornou de empréstimo espera ser relacionado para a partida do próximo domingo, contra o Goiás, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro

Descontente com a produção da equipe que perdeu para o Chapecoense por 1 a 0, no último sábado, no estádio do Morumbi, o técnico Muricy Ramalho terá a semana livre para corrigir os erros e preparar a equipe do São Paulo para o duelo do próximo domingo, contra o Goiás, marcado para o estádio Serra Dourada, em Goiânia. E, para esse confronto, o treinador deverá ganhar um importante reforço no setor defensivo: o zagueiro Rafael Toloi.

O atleta foi reincorporado ao elenco durante o período de treinos realizado nos Estados Unidos. O defensor jogou por empréstimo no Roma, que não quis desembolsar R$ 17 milhões para contratar o atleta em definitivo. Muricy Ramalho pediu o retorno do atleta e, assim como Kaká, o atleta tem aproveitado as últimas semanas para realizar intensos treinos físicos.

- Trabalhei forte nessas duas semanas, e com certeza treinando mais esses dias que faltam para o próximo jogo estarei bem melhor fisicamente. Acho que a evolução já foi enorme nesse período, vou trabalhar para estar à disposição no próximo jogo – afirmou Toloi, em entrevista ao site oficial do clube.

Na semana passada, o atleta participou durante uma hora do coletivo contra a equipe sub-17, realizado no CT da Barra Funda, e aprovou seu desempenho.

- Por ser o primeiro coletivo que fiz quando desde que voltei, foi bom. Pude atuar com os companheiros, deu pra correr bastante. Ainda tem espaço para melhorar, mas o importante é que saí contente com o que mostrei – ressaltou.

Rafael Toloi é opção para a zaga, que vem sendo formada por Rodrigo Caio e Antônio Carlos. Se quiser, Muricy Ramalho poderá promover o promover o retorno do defensor e deslocar Rodrigo Caio para o meio-campo para jogar como volante, sua posição de origem.

fonte globo.com

Share Button

Coluna do Zanquetta: Inadmissível!

Inadmissível. É inadmissível e insustentável esta irregularidade da equipe do São Paulo. Um jogo em casa, com um adversário como o Cruzeiro brigando pela taça, time feito e entrosado, que se reforçou e tem elenco, não podemos nos dar ao luxo de perder 3 pontos. Ainda mais para a Chapecoense. Ok. Foi um jogo, foi péssimo. Mas pode nos custar o título.

Espero sinceramente que Muricy ponha a mão na consciência porque suas teimosias de sempre estão começando a complicar e desta vez, material humano é que não falta. Teremos um jogo complicado contra o Goiás fora que é um time chato e que historicamente nos causa problemas.

É claro que temos coisas positivas que consigo enxergar como 91% de passes certos no jogo, como domínio e posse absolutos, tentativa de dominar a partida mas nossa fragilidade ainda é evidente e quando o adversário tem chance e não perde, sofremos um absurdo. A falta de criatividade, eficiência e efetividade, poderemos recuperar com Luis Fabiano e Kaká juntos fazendo com que Kardec, Ganso e outros também cresçam de produção. E que a zaga tenha mais estabilidade com Toloi. É o que anseio e espero.

Espero que os jogadores entrem ligados e com a mesma vontade do jogo contra o Bahia. E que Muricy entenda que nos manter na briga pelo título e no G4, é o mínimo aceitável para este ano. Qualquer resultado final além deste, é inadmissível!

Futfanatics. Muita gente está me perguntando sobre os descontos que a Futfanatics concede pela parceria que tem com o Blog. O que posso garantir, é que eles possuem o menor preço do mercado com nosso código de desconto. E se pagar à vista, ainda poderá ter mais 10% no boleto. Ou seja, imbatível.

Em breve, faremos uma promoção especial para a aquisição das camisas do Kaká com a loja. Enquanto isto, se forem comprar qualquer outra camisa que não do Kaká, aproveitem! O banner está aí ao lado no Blog.

Novidades no Blog do São Paulo.  Em breve, verão as novidades paulatinamente pintando no Blog. É muito importante que nos digam e comentem o que estão achando dos novos textos, colunistas e implantações que faremos.

Lembrando que o processo continua para não pararmos e sempre abrirmos portas a todos os Tricolores que independentemente que desejar ter espaço fixo como compromisso constante, temos os Megafones da torcida Tricolor. Sua opinião é sempre bem vinda e sempre será lida.

Camisa 7. Existe muita especulação em cima da camisa 7 Tricolor. Tudo depende muito da saída ou não de Pato. Se Pato sair, há sim grande possibilidade do Tricolor trazer outro jogador de frente. Michel Bastos foi muito comentado por conseguir atuar na ala esquerda e também efetuar essa função de winger mais avançado, quase como um ponta. Com isto, ele e Alvaro Pereira poderiam brincar pelo setor. Michel está encostado na Roma atualmente.

A Internazionale, dizem, quer oferecer 10 mi de euros. 5 mi a menos que o combinado com o São Paulo para liberação. Ou seja, ou o Corinthians paga a proporção mínima para o São Paulo de 1,5 mi de euros, ou seja, R$ 4,5 milhões, ou nada feito. Se isto ocorrer, Pato pode sair mas sim, seria reposto.

A saída de João Schimidt é mais um indício de que possa chegar mais um jogador ou de que Muricy vai mesmo aproveitar R. Caio como volante e não zagueiro. Mas, e a proposta do Barça? Será que o São Paulo seguraria o jogador? Vale segurar?

Eu venderia na hora como já disse aqui, investiria em um volante decente.

Maior Golpe ao Dinheiro Público da História. Sabem de quem estou falando? Do Itaquerão! O estádio que não acabou e tem centenas de problemas construtivos e hoje atua com aluguel para o Corinthians, idêntico ao que ocorria quando jogavam no Pacaembu, foi a maior vergonha e o maior golpe já planejado e arquitetado na história deste país. Os responsáveis todos sabem quais são. Por favor, eleições servem para isto!

Adidas? A Penalty intensificou as ações com o São Paulo estranhamente após os rumores (fortes) de que poderíamos ter a marca da Adidas em breve. Cientes que se perderem o contrato com o Tricolor antes da hora, dificilmente terão outra chance de emplacar em um clube com esta magnitude ainda  mais com estrelas como Kaká, Ganso, Pato, Luis Fabiano e Ceni no plantel. Vejamos como as coisas sairão até o final do ano.

Luis Fabiano ausente. Muito ruim Luis Fabiano ainda estar fora da equipe. Porém, muito bom podermos ter um plantel com que contar. O mais importante é que quando retornar, retorne ao bom momento que estava no pré Copa marcando muitos gols.

Dunga na Seleção. Bizarro para não falar medíocre a decisão. Dunga saiu da Seleção com números excelentes e com um pulso muito firme. Porém, o confronto entre CBF, imprensa e principalmente Globo era absurdo e insuportável. Agora então, nem se fala. Dunga na minha opinião fez excelente campanha com a Seleção mas deixou muito a desejar no aspecto emocional tal qual a Seleção de Felipão. Não que em 2010 havíamos tido desequilíbrio ridículo de bebês chorões como em 2014, mas um excesso de ímpeto. Não sei se ele mudará isto mas me agrada a forma como ele tratava a imprensa escrota que temos neste país.

Vejam que não concordo com a escolha mas fico satisfeito por termos mantido Muricy e por termos a chance de ter continuidade do trabalho dele num momento importante para todos nós e com chances reais de título. Ainda mais podendo ter um Tite a engolir pela frente…

Mas, essa palhaçada da mídia de fazer jogador de herói, endeusamento etc ele vai boicotar, pode crer. A imagem da época dele era de time de guerreiros e muito se perdeu pela forma que Felipe Melo foi expulso etc.

Tenho certeza que ele vai usar o Alan Kardec de centroavante e puxará jogadores como Kaká de volta, Robinho etc. Não sei se para mais uma Copa mas de imediato, com toda certeza. Enfim, o que me importa é o São Paulo e a valorização de seus jogadores.

E a continuidade de nossos planos de conquistas. Porque eu ainda acredito.

Alexandre Zanquetta

alexandrezanquetta@uol.com.br

twitter.com\blogdosaopaulo

twitter.com\saopaulinosrio

Share Button

Muricy receita paciência para Luis Fabiano superar ‘pior coisa do mundo’

 

Luis Fabiano

A expectativa no São Paulo de que Luis Fabiano voltasse logo aos gramados foi frustrada na sexta-feira, quando ficou constatado que o atacante sofreu mais uma lesão muscular. Chateado com o novo problema do atleta, o técnico Muricy Ramalho afirmou que o camisa 9 precisa ter paciência para passar por mais este momento complicado.

“É difícil, porque é um jogador que ficou esse tempo todo no departamento médico. Além da parte médica, tem de fazer o reforço muscular, que é a pior coisa do mundo, pois é solitário, é só ele. Precisa ter paciência de novo, recomeçar o trabalho e se recuperar da dor”, receitou.

Depois de um primeiro semestre em que recebeu elogios de Muricy por sua sequência, Luis Fabiano voltou a ter problemas clínicos. Durante a intertemporada do São Paulo, nos Estados Unidos, o atacante sofreu uma lesão muscular na coxa direita, em amistoso contra o Orlando City.

Nesta retomada do Campeonato Brasileiro, havia a esperança de que Luis Fabiano pudesse ficar à disposição da comissão técnica para o confronto contra a Chapecoense, na noite de sábado, mas o atleta sofreu um novo estiramento na coxa direita.

“Ele já passou por isso diversas vezes, tem experiência e com certeza vai se recuperar. É uma lesão em outro lugar, uma fatalidade, e deve estar de volta em 20 ou 25 dias”, completou o treinador.

Sem Luis Fabiano, a função de centroavante da equipe vem sendo desempenhada pelo recém-contratado Alan Kardec, que fez um gol na vitória sobre o Bahia, na última quarta, mas passou em branco na derrota por 1 a 0 para a Chapecoense. Já Alexandre Pato

Fonte: Espn.com.br

 

Share Button

São Paulo empresta promessa da base para o Vitória de Setúbal

João Schmidt são paulo treino (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)
João Schmidt vai jogar em Portugal
(Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)

Uma das apostas das categorias de base do São Paulo vai atuar em Portugal para ganhar experiência. O volante João Schmidt, de 21 anos, foi emprestado para o Vitória de Setúbal. O jogador permanecerá no clube por uma temporada.

- Vai ser bom para minha carreira, uma oportunidade muito boa que tenho para poder trabalhar e conquistar meu espaço no futebol. Vale pelo lado profissional e humano, morar fora, sozinho, conhecer outra cultura, fazer parte da Europa, tudo isso tem um ganho importante – afirmou.

Figura constante em convocações para as categorias de base da seleção brasileira, o marcador vinha tendo poucas chances com o técnico Muricy Ramalho nesta temporada e aceitou o convite para disputar uma liga europeia.- O objetivo é fazer uma boa temporada, ajudar a equipe, se possível com títulos, e mostrar meu futebol para o mundo e para o São Paulo também.Tenho o objetivo de voltar à Seleção e disputar a Olimpíada. Para isso, preciso estar jogando, me destacar – disse.

Promovido em 2012, João Schmidt disputava espaço em um setor fechado por Muricy. Souza e Maicon são titulares absolutos da posição. Além deles, o elenco ainda tem Denilson, que chegou a ser dono de uma das vagas, mas que caiu de produção desde o ano passado. Formado no CT de Cotia, João Schmidt subiu das categorias de base como uma das grandes apostas do ex-presidente Juvenal Juvêncio, mas não conseguiu se firmar como ele imaginava. O dirigente chegou a apelidar o volante de “Colosso” em virtude de sua grande qualidade técnica. - Sempre tive o sonho de jogar no São Paulo. Posso voltar um dia, com moral. Mas agora penso apenas em fazer uma grande temporada. Tudo que tenho conquistado na vida foi dentro do São Paulo. Às vezes, ficamos chateados de não jogar, mas é assim mesmo. Trabalhei com grandes técnicos e jogadores, foram três anos de muito aprendizado no profissional. O São Paulo me formou e sou muito grato por isso.

Fonte: Globo.com

Share Button

Brasileiro/2014 – SÃO PAULO 0 x 1 Chapecoense– Análise, Notas, BC/BM

analise

EXPECTATIVA…

Reencontrar o Morumbi e evitar perder pontos bobos em casa. Não há muito o que inventar no jogo de hoje. Vale o resultado. Entretanto, se for possível brindar os presentes com um futebol de qualidade, melhor.

…REALIDADE!

Primeiro Tempo

Agressividade. Essa era a palavra que melhor descrevia o time no início de jogo. Como era de se esperar, claro. Sem assustar, contudo. Assim como era esperado que Chapecoense se defendesse na maior parte do tempo, querendo aproveitar os eventuais erros do tricolor para contra-atacar. Aos 12 minutos, Rodrigo Caio levou um cartão amarelo bobo, daqueles imperdoáveis. E aos 17 poderia ter sido expulso, por ter “matado” uma bola no braço. Esse é o problema de tomar cartão cedo demais…

Verdade que a forte marcação do adversário, beirando a deslealdade com as canelas tricolores, impedia o São Paulo de chegar com perigo. Ganso, bem marcado, não encontrava espaço para armar o time. Verdade, também, que o São Paulo parecia pouco inspirado. Mas, aos 33, em bola alçada na área por Douglas, Ganso apareceu sozinho, em posição legal, para cabecear. E o fez, só que para fora. Era a primeira grande chance do jogo para o São Paulo! Aos 37, Alan Kardec fuzilou da entrada da área, depois de boa trama pelo meio, mas a pelota fugiu do gol como o diabo da cruz. As chances, raras até os 30, começaram a aparecer. E era muito bom ver o tricolor jogando competitivamente, brigando em todos os lances, atento, correndo corretamente, compactado. Ademílson era um tormento e corria o campo todo. A verdade é que ninguém se omitia.

A pressão sobre a Chapecoense subia, mas os catarinenses só faltavam estacionar um ônibus na frente do gol. E, com acachapante volume de posse de bola, o primeiro tempo terminou.

Segundo Tempo

O São Paulo voltou com a mesma formação do primeiro tempo. E com menos de um minuto de jogo, Ganso quase marcou um daqueles gols antológicos: avançou pela esquerda e, próximo ao bico da grande área, fez livre um petardo que passou próximo da forquilha esquerda do gol da Chapecoense. E o início era de forte pressão tricolor. Porque Antonio Carlos, aos 2 minutos, escorou cobrança de escanteio com os pés e quase marcou. O show seguia. Ganso empurrou Osvaldo ladeira abaixo pela esquerda e o camisa 17 cruzou para Allan Kardec, que em posição legal, saiu na frente do goleiro Danilo. O centroavante tricolor finalizou fraco, mas o goleiro da Chapecoense é que teve mais méritos ao evitar o gol tricolor.

Enquanto isso, a torcida do São Paulo dava show nas arquibancadas… Nesse embalo, Douglas tentou de longe e Danilo segurou. Tudo isso antes dos 10 minutos de jogo no segundo tempo. Mas quando tudo caminhava para o São Paulo abrir o placar, aos 12 minutos veio a falha no miolo de zaga. Ricardo Conceição saiu na frente de Rogério Ceni e foi à rede. 0×1 Chapecoense. De fato, quem não faz, toma. E o tricolor pareceu perder a cabeça. Porque os passes não mais morriam nos pés dos tricolores, mas ricocheteavam e de certo modo tal coisa tirava a velocidade do ataque do São Paulo. Sem falar nos erros de passe, que até 20 minutos beirava o número de 40. Ganso chamava o jogo, se apresentava, sofria faltas, mas confundia velocidade com pressa.

Só dava São Paulo, e a Chapecoense se defendia como podia, inclusive com o goleiro colocando a mão na bola fora da grande área. Só dava São Paulo e Muricy mandou Pato no lugar de Ademílson. A ideia era colocar lenha na fogueira. Oremos a São João, então. E o goleiro Danilo, desleal à sua maneira, exagerava de maneira absurda no “cai-caiísmo” e na cera. Aos 37, Osvaldo saiu para a entrada de Ewandro.

O tempo passava, o São Paulo jogava com intensidade, mas a verdade é que pouco criava ofensivamente, não conseguindo sair da retranca do adversário. E a arbitragem também aproveitava para tirar uma casquinha do tricolor, deixando de anotar faltas claras, que poderiam causar lances perigosos, em favor do São Paulo. Fica evidente que, embora tenha havido evolução, o São Paulo ainda não sabe jogar contra adversários que optam pela retranca.

Foi o fim. Este tipo de jogo, a retranca, tem sido recorrentemente eficiente contra o time que quer jogar. Nada contra, é uma opção de jogo. Porém, fica cada vez mais evidente a falta de capacidade de nossos treinadores e jogadores de encontrar opções eficazes para enfrentar este método de jogo.

Por: Paulo Martins

 

NOTAS   

ROGÉRIO CENI: Não teve culpa no gol, nem teve trabalho durante o jogo. 4

DOUGLAS: Se a partida anterior foi boa, esta foi ruim. 3

ANTONIO CARLOS: Não teve muito trabalho, mas no lance capital do jogo, não foi eficiente. 2

RODRIGO CAIO: Tomou um cartão amarelo bobo e poderia ter sido expulso. Apesar de não ter tido trabalho, fez parte da falha no lance do gol. 2

ALVARO PEREIRA: Basicamente, a melhor opção ofensiva do São Paulo. Raçudo, dá o sangue em campo. 5

SOUZA: Tem sido um dos melhores no meio-campo tricolor. Hoje, porém, não foi bem. 4

GANSO: Não se omitiu. Tentou passes, foi à frente, chutou a gol, armou, desarmou… Mas não foi suficiente. 5

MAICON: Tem bom passe, talento para sair jogando, mas precisa aprender a simplificar mais o jogo. Em alguns lances retém demasiadamente a posse de bola, matando uma possível opção de ataque. 4

ALAN KARDEC: É um jogador que ainda nos dará alegrias, mas pelo tipo de jogo de hoje, com um adversário que só se defendeu, perder um gol como o que ele perdeu é imperdoável. 3

OSVALDO: Movimenta-se bastante, como sempre. Mas hoje, ficou aquém, como quase todo time. 3,5

(Ewandro): Entrou mal no jogo, errando muitos passes. Mas ainda é jovem e tem talento. 3

ADEMÍLSON: Corre demais, marca muito, e é um tormento para o adversário quando inspirado. Hoje, a vontade e a determinação estiveram presentes. A inspiração faltou. 4

(Pato): Entrou um pouco tarde. Demonstrou certa vontade de fazer a diferença. Depois foi sumindo, sumindo… Ou melhora, ou será vomitado, posto que tem sido morno.

MURICY: Melhorou o time, considerando o posicionamento em campo. Mas ainda não encontrou uma maneira de diminuir as falhas defensivas, tampouco de fazer o time jogar contra adversários que optam por somente se defender, naquele que parece ser o enigma atual do futebol brasileiro. As alterações não surtiram efeito, Pato e Ewandro acrescentaram nada, ou muito pouco, ao time. Urge pensar e encontrar uma maneira de enfrentar este tipo de jogo ou então perderemos mais pontos dentro de casa, dado que todos jogarão assim, afinal a receita está pronta. 4

Por: Paulo Martins

 

BOLA CHEIA

  • A torcida, que fez uma bela festa no Morumbi.

 

BOLA MURCHA

  • A ineficácia contra times retrancados;
  • A recorrente falha no miolo de zaga;

 

Por: Paulo Martins

Share Button

Preleção Brasileirão 2014: São Paulo x Chapecoense

São Paulo x Chapecoense

Depois de retornar com um belo futebol e uma vitória convincente diante do Bahia na última quarta-feira, o São Paulo volta a campo neste sábado, no Morumbi. O jogo é válido pela 11ª rodada, e o adversário é a Chapecoense. Uma vitória nos manterá próximos do líder Cruzeiro. Com o triunfo diante dos baianos, o Mais Querido subiu para a 3ª posição, deixando o Fluminense para trás.

Com o belo futebol apresentado na Arena Fonte Nova, nem teria como justificar qualquer mudança nos jogadores titulares. Por isso, Muricy nem mistério fez: nada de mudanças. Alan Kardec estreou com gol e ótima partida, ajudando sempre que podia na marcação. Hoje será a estreia oficial do camisa 14 no Templo Sagrado, e que seja com gols. O outrora contestado por mim e toda a nação tricolor Douglas vem fazendo boas partidas, se fixando como titular na lateral direita. Contra o Bahia, foi muito bem. Os desfalques são: Luís Fabiano lesionado, Kaká e Toloi sem condições de jogo.

O “Verdão do Oeste” participa da elite apenas pela terceira vez em sua história. Nas únicas participações, em 78 e 79, os catarinenses enfrentaram apenas equipes do Sul do Brasil, já que o Brasileiro da época era inchado e forçava uma espécie de eliminatórias por regiões antes de se afunilar. No ano passado uma campanha sólida e tranqüila na Série B, garantindo com folga o retorno a elite 34 anos depois. Atualmente, ocupam a 17ª posição, com 8 pontos ganhos e 1 jogo a menos. O principal destaque e o artilheiro da última segundona Bruno Rangel, que está regularizado para reestrear diante do São Paulo.

Diante do Bahia, o que vimos nos encheu de esperanças de que finalmente teremos um Time (com “T” maiúsculo) em campo: entrosado, com ótimo toque de bola, marcando na defesa adversária, enfim, nada mais que Muricy prometeu. E olha que tem gente para entrar neste time hein! Só espero que a porcaria da CBF não venha atrapalhar agora, levando Muricy o teimoso porém competente Muricy Ramalho embora… seria como jogar todo o trabalho e planejamento no lixo. Mas deixemos as especulações de lado e foquemos no presente! Que venha a Chapecoense!! Rumo a vitória!! #3Cores1SóTorcida

Por: Leandro Teixeira

 

SÃO PAULO X CHAPECOENSE

Data/Hora: 19/07/2014, as 18h30min (horário de Brasília)

Estádio: Morumbi, em São Paulo/SP

Árbitro: Felipe Gomes da Silva/PR

Auxiliares: Bruno Boschilia/PR e Ivan Carlos Bohn/PR

São Paulo: Rogério Ceni, Douglas, Rodrigo Caio, Antonio Carlos e Alvaro Pereira; Souza, Maicon e Ganso; Ademilson, Alan Kardec e Osvaldo. Técnico: Muricy Ramalho

Chapecpense: Danilo, Fabiano, Rafael Lima, Jaílton e Rodrigo Biro; Wanderson, Ricardo Conceição, Dedé, Camilo e Neném; Bruno Rangel. Técnico: Celso Rodrigues

Transmissão: PFC

Share Button